EDIÇÃO DA EAB AIR SHOW 2017 EM MARINGÁ PODERÁ NÃO ACONTECER


A Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide) da prefeitura de Maringá, juntamente com a Procuradoria Jurídica, deve cobrar ainda nesta semana uma manifestação da empresa Expo Air Exposição e Eventos sobre a realização da quarta edição da Feira Internacional de Aviação EAB Air Show, um dos maiores eventos aeronáuticos do Brasil.
Apesar de o evento ser realizado em parceria com a prefeitura, faltando apenas quatro meses para a realização os organizadores ainda não mantiveram contato com a prefeitura.
Segundo o chefe de Gabinete da prefeitura, jornalista Domingos Trevisan Filho, a prefeitura se preocupa porque foram feitos investimentos públicos na realização da feira para que ela seja realizada por 20 edições, além de todos os anos o município investir entre R$ 300 mil e R$ 350 na infraestrutura do evento. Para a realização deste ano, o dinheiro já está previsto no orçamento do município aprovado no ano passado.
De acordo com Trevisan, a administração Ulisses Maia quer saber qual a programação para a edição deste ano, quais as empresas já confirmaram exposição e o que caberá à prefeitura na estruturação do local. Em anos anteriores estas informações são repassado à prefeitura com vários meses de antecedência, mas neste ano a impressão é de que a feira não será realizada.
A reportagem de O Diário tentou contato com a empresa promotora, mas não obteve confirmação da realização da feira porque o diretor estaria fora, mas foi informado que ele deve manter contato com o prefeito Ulisses Maia (PDT) nos próximos dias.
Em cada uma das edições anteriores a EAB Air Show reuniu acima de 100 empresas expositoras, representando 184 empresas nacionais e de outros 15 países, mostrou acima de 80 aeronaves novas ou usadas, várias delas oferecidas a venda e envolveu aproximadamente 300 pessoas na organização.
O evento ofereceu também serviço exclusivo de compra e venda de aeronaves usadas, apresentou shows de acrobacias aéreas e apresentação da Esquadrilha da Fumaça.
Na edição do ano passado, 28 mil visitantes, entre profissionais do setor da aviação e público, passaram pela feira realizada ao lado do aeroporto. Apesar da cobrança de ingressos – R$ 20 por pessoa e R$ 10 por meia entrada para estudantes -, e por estacionamento de veículos – R$ 50 por ônibus, R$ 30 por automóveis e R$ 10 por cada motocicleta – a edição do ano passado teria terminado com prejuízo, segundo a prefeitura de Maringá.
R$ 1,5 milhão, foi o valor do repasse feito pela prefeitura em 2013, com autorização da Câmara, aos organizadores da feira para a realização por 20 anos.
FONTE: Blog Luiz de Carvalho

Um comentário:

MG Gregorio disse...

Falaram que esse cara ai deu cano em outras cidades e se é verdade nao sei, embolsa a grana e nao cumpre o contrato se tiver