COBRANÇA DE BAGAGEM COMEÇA DIA 1º DE JUNHO

Imagem: Emerson Carvalho
O consumidor que for viajar de avião a partir do próximo mês deverá ficar atento. Isso porque algumas companhias aéreas já anunciaram que vão cobrar pela bagagem despachada. A partir de junho as empresas disponibilizarão canais de vendas oferecendo aos passageiros tarifas mais econômicas, para quem não precisar despachar bagagens. 
A Azul começa a cobrança no próximo dia 1º e disponibilizará tarifas com até 30% de desconto para clientes que partem de Viracopos para 14 destinos pelo país e que não despacham bagagens. As passagens da Azul estarão classificadas em duas categorias: a “Azul” e a “MaisAzul”.  
Ao optar pela categoria Azul, o Cliente pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa MaisAzul e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Nessa modalidade, se o Cliente mudar de ideia, poderá incluir os 23 kg de bagagem, a qualquer momento, por apenas R$ 30,00. 
Caso o cliente ultrapasse essa cota de 23 kg, será mantida a atual cobrança por quilo excedente. Nessa modalidade, o cliente tem acúmulo integral de pontos pelo programa TudoAzul. A categoria MaisAzul mantém a prática tarifária atual, inclui franquia de 23 kg de bagagem e sempre estará disponível para compra.
A GOL implementará o novo modelo, a partir de 20 de junho, e irá disponibilizar em seus canais de vendas uma nova tarifa mais econômica, chamada Light, para quem não precisar despachar bagagens. As atuais tarifas Programada e Flexível continuam a incluir, sem custo, uma bagagem de até 23kg, e a classe GOL Premium disponível apenas nos voos internacionais, dois volumes do mesmo peso. 
Além disso, a bordo, já é possível viajar com uma mala de até 10Kg, independente do bilhete adquirido. “A GOL entende que a mudança nas regras de franquia de bagagens aproxima o país dos padrões adotados na aviação mundial. O cliente poderá escolher a melhor forma de realizar sua viagem, pagando menos se não despachar mala”, explica Eduardo Bernardes, vice-presidente de vendas e marketing da GOL.
A empresária Mônica Maltez disse que a cobrança é abusiva. “Já pagamos tão caro na passagem. É um absurdo pagar pela bagagem. Sempre viajo para outros lugares e levo novidades e iguarias da cidade visitada para casa. Agora não poderei comprar mais nada, para não pagar caro”, afirmou. A técnica administrativa Kele Núbia Araújo disse que agora será mais vantagem viajar de ônibus. “Preferia viajar de avião, por ser uma viagem mais rápida e segura, mas como sempre carrego malas vai ficar mais barato ir de ônibus”, observou.


Apesar da definição da Gol e Azul, a LATAM Airlines Brasil esclareceu que as regras de bagagens permanecem inalteradas e informará oportunamente sobre as mudanças a seus passageiros nos canais oficiais da empresa.

Já a Avianca Brasil informou que implementará todas regras mandatórias previstas nas Condições Gerais de Transporte Aéreo, no prazo determinado. A companhia decidiu não cobrar por despacho de bagagens no início da vigência da nova resolução, em 14 de março, pois prefere estudar essa questão mais profundamente durante os próximos meses, a fim de criar produtos tarifários customizados para melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes.
A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) informou por meio de nota, que atualmente, o custo pelo transporte de bagagem é diluído nos preços dos bilhetes de todos os passageiros, independente se ele viaja apenas com bagagem de mão ou se despacha mais de uma mala. Com a nova medida, será estabelecida uma justiça tarifária, as companhias poderão fazer promoções e diferenciar suas tarifas - o que hoje é proibido. “Isso naturalmente acirrará a concorrência entre as empresas, o que beneficiará todos os passageiros”, enfatizou o documento.
Fonte: A Tribuna

AZUL ANUNCIA MALHA DE INVERNO 2017 NAS REGIÕES SUL DO BRASIL



Pelo quarto ano consecutivo, a Azul Linhas Aéreas coloca em prática, durante o inverno, uma operação especial nos aeroportos da região sul do Brasil onde as condições climáticas costumam impactar a regularidade e pontualidade dos voos. Para isso, irá realizar alguns ajustes de forma temporária na malha aérea dessas regiões, com o objetivo de evitar atrasos e cancelamentos que gerem contratempos aos passageiros. A ação ficará em vigor entre maio e setembro.
Em São Paulo (Viracopos), foi decido diminuir parte dos voos para Curitiba, Porto Alegre, Lages, Ponta Grossa, Divinópolis, Cascavel e Maringá, enquanto as ligações de e para Londrina, Chapecó e Foz do Iguaçu terão somente ajustes de horário.
Já em São Paulo (Guarulhos) está confirmada a redução de operações apenas para Porto Alegre.
"A preparação da malha aérea de inverno demanda um trabalho complexo de análise de histórico de fechamento desses aeroportos e de como podemos realizar esses ajustes de forma eficiente, mitigando ao máximo os impactos meteorológicos à nossa malha de voos e, consequentemente, aos passageiros que voam conosco. Com estes ajustes, queremos continuar a oferecer a melhor experiência de viagem aos nossos Clientes", explica Daniel Tkacz, diretor de Planejamento de Malha da companhia.
Os pasageiros que compraram passagens para voos no inverno nas bases impactadas estão sendo informados previamente sobre alterações de horário ou cancelamentos de voos (neste caso, recebem alternativas como reacomodação gratuita ou reembolso integral).
Após o período designado para a operação da malha de inverno, todos os voos voltarão a ser ofertados normalmente.
Fonte: Azul Linhas Aéreas

MADRUGADA DE PÁTIO CHEIO NO AEROPORTO DE MARINGÁ

Imgem: Pércio Camargo

Movimento á tipico na madrugada desta sexta-feira (21/04) no Aeroporto de Maringá, onde todas as 7 posições principais do aeroporto foram todas ocupadas. Tendo como pernoites 4 Boeing's 737-700/800 da companhia aérea Gol, 1 Embraer E-190 e 2 ATR's da Azul Linhas Aéreas.

O patio principal do aeroporto de Maringá comporta o total de 10 aeronaves de grande porte, 7 principais e 3 remotas.

A movimentação foi devido a voos extras disponibilizados por conta do feriado prolongado de Tiradentes. 


EDIÇÃO DA EAB AIR SHOW 2017 EM MARINGÁ PODERÁ NÃO ACONTECER


A Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide) da prefeitura de Maringá, juntamente com a Procuradoria Jurídica, deve cobrar ainda nesta semana uma manifestação da empresa Expo Air Exposição e Eventos sobre a realização da quarta edição da Feira Internacional de Aviação EAB Air Show, um dos maiores eventos aeronáuticos do Brasil.
Apesar de o evento ser realizado em parceria com a prefeitura, faltando apenas quatro meses para a realização os organizadores ainda não mantiveram contato com a prefeitura.
Segundo o chefe de Gabinete da prefeitura, jornalista Domingos Trevisan Filho, a prefeitura se preocupa porque foram feitos investimentos públicos na realização da feira para que ela seja realizada por 20 edições, além de todos os anos o município investir entre R$ 300 mil e R$ 350 na infraestrutura do evento. Para a realização deste ano, o dinheiro já está previsto no orçamento do município aprovado no ano passado.
De acordo com Trevisan, a administração Ulisses Maia quer saber qual a programação para a edição deste ano, quais as empresas já confirmaram exposição e o que caberá à prefeitura na estruturação do local. Em anos anteriores estas informações são repassado à prefeitura com vários meses de antecedência, mas neste ano a impressão é de que a feira não será realizada.
A reportagem de O Diário tentou contato com a empresa promotora, mas não obteve confirmação da realização da feira porque o diretor estaria fora, mas foi informado que ele deve manter contato com o prefeito Ulisses Maia (PDT) nos próximos dias.
Em cada uma das edições anteriores a EAB Air Show reuniu acima de 100 empresas expositoras, representando 184 empresas nacionais e de outros 15 países, mostrou acima de 80 aeronaves novas ou usadas, várias delas oferecidas a venda e envolveu aproximadamente 300 pessoas na organização.
O evento ofereceu também serviço exclusivo de compra e venda de aeronaves usadas, apresentou shows de acrobacias aéreas e apresentação da Esquadrilha da Fumaça.
Na edição do ano passado, 28 mil visitantes, entre profissionais do setor da aviação e público, passaram pela feira realizada ao lado do aeroporto. Apesar da cobrança de ingressos – R$ 20 por pessoa e R$ 10 por meia entrada para estudantes -, e por estacionamento de veículos – R$ 50 por ônibus, R$ 30 por automóveis e R$ 10 por cada motocicleta – a edição do ano passado teria terminado com prejuízo, segundo a prefeitura de Maringá.
R$ 1,5 milhão, foi o valor do repasse feito pela prefeitura em 2013, com autorização da Câmara, aos organizadores da feira para a realização por 20 anos.
FONTE: Blog Luiz de Carvalho

OPERAÇÃO OSTIUM DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA EM CASCAVEL-PR

Cascavel e Foz do Iguaçu (PR), Dourados (MS) e Chapecó (SC), são quatro cidades que disponibilizarão parte das instalações de seus respectivos aeroportos para a operação Ostium. Conforme as informações, esta operação é ligada às fronteiras do Brasil com países vizinhos. Os trabalhos deverão durar entre 6 meses e um ano.
Não foram divulgados detalhes sobre os procedimentos da operação. As equipes que chegaram à capital do oeste estão acampadas no pátio do aeroporto e realizaram a montagens de seu equipamentos.
Em Cascavel, estão baseados na operação quatro aeronaves caças modelo A-29 Super Tucano, dois helicópteros Black Hawk e como apoio nas operações aeronaves Hercules C-130 e C-105 Amazonas.
Confira abaixo algumas imagens da operação Ostium no aeroporto de Cascavel. Agradecimento especial aos Spotters Rodrigo B. Garcia e João Carlos Ribeiro que nos cederam gentilmente algumas imagens da operação no aeroporto.
Imagem: Rodrigo B. Garcia

Imagem: Rodrigo B. Garcia

Imagem: Rodrigo B. Garcia

Imagem: João C. Ribeiro

Imagem: João C. Ribeiro

Imagem: João C. Ribeiro

Imagem: João C. Ribeiro

CÂMARA MUNICIPAL APROVA R$61 MI PARA INICIO DAS OBRAS NO AEROPORTO DE MARINGÁ

Imagem: Emerson Carvalho
Por conta dessa aprovação no Legislativo, expectativa é de que obras comecem ainda no segundo semestre deste ano. R$ 121 Milhões é o valor total que deve ser investido no aeroporto. São R$ 114 milhões do governo federal e R$ 7 milhões do município.

As obras de ampliação da pista e aquisição de equipamentos que auxiliam os pilotos para pousos e decolagens no Aeroporto Regional Silvio Name Júnior de Maringá podem começar no segundo semestre deste ano.

Os vereadores aprovaram ontem na Câmara alteração no orçamento do município que prevê R$ 61 milhões para serem usados neste ano. Mais de 90% da verba vem do governo federal, sendo que o restante é do município. “É uma mudança na lei orçamentária que deveria passar pela Câmara.

O convênio com o governo federal é deste ano e possibilitará ao aeroporto trabalhar com mais eficiência”, explicou o líder do prefeito na Câmara, Jean Marques (PV).

Segundo o superintendente do aeroporto, Fernando Rezende, o passo dado na Câmara foi importante. “A previsão é de assinarmos o termo de convênio em março. Após a assinatura, a ideia é começar a licitação em 60 dias e a previsão é de dar início as obras no segundo semestre deste ano”, destacou o superintendente.

O que muda Dentre as obras previstas os recursos vão permitir a extensão da pista seja aumentada em mais 280 metros, passando dos atuais 2.100 metros para 2.380 metros.

Também está prevista a atualização da Seção Contra Incêndio – do Corpo de Bombeiros, ampliação do pátio de estacionamento, a revitalização da faixa de pista em que a aeronave pode taxiar até o terminal e a aquisição de novos equipamentos dos sistemas de meteorologia e de aproximação, inclusive com instalação de ILS (Instrument Landing System), sistema favorece operações em condições climáticas adversas, diminuindo atrasos e cancelamento de voos em função da falta de visibilidade.

Fonte: Metro Jornal - Leonardo Filho